Para iniciar a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre com o pé direito

O primeiro gaúcho a se manifestar na escada literária. Aguardando ônibus para a Feira do Livro.

Junto com novembro chegou o evento que considero o mais porto-alegrense de todos. Do dia 1º a 19 de novembro ocorre a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre, que está com uma programação que permitirá viver a cidade por meio de diversas narrativas. E para quem estará na cidade no feriado de finados, uma boa pedida é se conectar com a cidade através do livro "Senhor Gelado e Outras Histórias", do jornalista e escritor gaúcho Igor Natusch, que estará com caneta a postos a partir das 17h30min para dedicatórias. Basta procurar por alguém com uma camisa do Iron Maden mas com olhar bondoso, que faria você se questionar se ele não deveria estar com camiseta da Banda Mais Bonita da Cidade. O livro foi publicada pela Editora Zouk, que nos permite conhecer obras que vão além da lógica mercadológica que vemos hoje. Uma bela edição com ilustração do irmão do autor, Gunter Natusch.

Experiência de leitura: Livros de contos ou crônicas dão ótimas pistas de como conhecer uma cidade. Afinal, viagens com tempo curto e guiadas pelo turismo comercial nem se aproximam do que é viver de fato um local. Inclusive a minha relação com Porto Alegre ocorre através de escritores como Quintaninha, Claudia Tajes, Moacyr Scliar, Mariana Kalil, e segue o baile, como dizemos por aqui. Por isso, quando li "Senhor Gelado e Outras Histórias", desse escritor com quem cruzava passos, me senti imergir na Porto Alegre que afastei de mim por cinco anos, quando fui morar na outra ponta do país (Belém do Pará e agora um pouco minha). Morávamos no mesmo condomínio, no bairro Cavalhada na maior zona rural em capital do país. Mas só fomos nos conhecer na Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS. Talvez por isso a cada conto de Senhor Gelado, lido principalmente no ônibus no trajeto Centro ao bairro Agronomia (outra zona rural de Porto Alegre mas ao Norte) indo para a pós-graduação, ficava com o olhar parado na janela vendo memórias passarem.

Me senti em alguns contos como lendo os bastidores de alguma notícia em que é preciso muito traquejo para ver nas entrelinhas e entender traços do fim do mundo. E é assim que vejo os turistas, vendo apenas a manchete, enquanto o principal está além das letras no jornal. Através dos contos, percebemos alguém "born and raised" (acho essa expressão melhor em inglês, coisa de quem cresceu assistindo enlatados americanos, mas vá, nascido e criado) na cidade, com seus prédios de cores pacatas, algum verdinho aqui e ali, a violência sob olhares ainda perplexos de "não acredito que a cidade anda perigosa",e, principalmente, algo que acompanha os escritores gaúchos que é o que Vitor Ramil chama de estética do frio. Os Estados do Sul são os únicos no país a ter as quatro estações ainda resistentes às mudanças climáticas,  apesar de veranicos aqui e ali no inverno. E o fato de termos um inverno desses castigantes traz uma melancolia, vontade (ou necessidade) de se retrair com seus pensamentos para fugir do frio.  Então ao chegar no conto em que conhecemos o Senhor Gelado (embora nem tanto, afinal é frio perto dele), tive um compilado do porquê de eu estar me sentindo tão imergida na cidade lendo cada história. É Porto Alegre que está dentro desse livro, um olhar daqui que faz conhecer a cidade e o que ela causa nas pessoas. 

Dica para respirar Porto Alegre: A Feira do Livro vai te trazer várias oportunidades de se conectar com a cidade, por isso começar levando o Senhor Gelado para te acompanhar enquanto desvia de algumas poças d'água (ou não, eu prefiro pisotear todas se estou de galochas) é uma ótima pedida. Recomendo leituras transeuntes, comendo uma bomba de chocolate no Mercado Público, nos deslocamentos de ônibus, em uma parada na praça da Alfândega. E se permita ser um cidadão porto-alegrense no folhear de páginas.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para viver um cotidiano distante como se cidadão local fosse

Inverno literário em Porto Alegre

Para não ficar só com os seus pensamentos